Pérolas

A vida realmente me surpreende. Veja só o que achei por aqui.
Um rascunho escondido (não publicado) de 15/01/2014. Pois é, mais de um ano que ele está guardado por aqui.

Sinceramente não faço ideia do que eu estava pensando quando escrevi isso, mas tenho vaga impressão de que foi uma postagem que meu amigo Furukava quis meter o bedelho, eu não deixei, ficou aquela muvuca e eu acabei deixando em rascunho. Pela forma que está escrita (cheia de abreviações e palavras não acentuadas), certamente não foi eu que escrevi … mas tá valendo. Provem da sandice encontrada:

~*~

“Genteeee do meu S2 pq escrever coração cansa.

Surpresa com as pérolas que a vida nos proporciona.

Não, não ganhei um colar da minha mãe.

Porém o ser humano em sua essência é capaz de nos surpreender positivamente e na maioria das vezes negativamente.

E em 99.99% das vezes segundo estudos de cientistas britânicos apresentado no fantástico as pérolas humanas são negativas.

For example (Por exemplo): I miss yooou soo much! (Sinto muito sua falta)

Mas não liga! Não dá os Cabimentos…

Não está com saudades! Simples, gafanhoto!

Já dizia Saint Exupery no famoso e célebre Le Petit Prince que somos responsáveis por aquilo que cativamos!
Intonce, pru mode de que alguem que por caso pensou que nos cativou, e é apenas uma entre 5000 rosas acha que uma simples frase “Estou com saudades” sem nenhuma ação de SER RESPONSÁVEL faz algum sentido? ”

~*~

Bem… loucuras a parte, isso é verdade.
Amigo… temos Facebook, Instagran, Whatsap, e-Mail, Orelhão (acho que ainda funciona). A pessoa mora na mesma casa há 12 anos… e tu me vem com a historinha furada de “Tá sumido!?” ¬¬
Nem pro James Bond essa aí cola mais… Seja honesto, diga “Mais omi, nem lembrei de você, ó.. mas até gosto quando te vejo”
Bem mais digno. Não é diplomático, mas soa bem mais verdadeiro!

Fica a dica, então. Tá com saudade, vá atrás da criatura. Senão, fique caladinho pra não pagar de otário 😉

No mais, leiam mais livros, escovem os dentes antes de dormir e desliguem os receptores.

;*

Surprise, Guys! ;)

Muitos dias se passaram…

Sorrisos mudaram de fornecedores,

Lágrimas importada por outros produtores.

Um ano na selva.

Muitos dias nublados,

aprendi a usar guarda-chuva…

Para finalmente o arco-íris voltar.

Minha mente nunca esteve de férias

Meus dedos que pediram licença.

Não é uma promessa,

mas uma porta está aberta.

#Fim do primeiro ato#

~ Feliz Ano novo!

Conto do Sonhos I – Amigo do sol

Depois de alguns dias pelejando para finalmente escrever alguma coisa, a melhor das inspirações surgem. Onde? Claro que na sala de aula kkkkkkkk

Estava sem meu computador, apenas com o caderno aberto e lápis na mesa.

Como não há lápis que, em minhas mãos, resistam a um papel… não pude fazer tal desfeita. Escrevi ;D

Segue, FINALMENTE, o primeiro conto.

~ * ~

Amigo do Sol

A tarde estava perfeita… O céu estava de cor alaranjada, marcado pelo sol deslumbrante de fim de tarde. Tudo se iluminava.

As ondas da praia beijavam a areia lentamente, e as palmeiras dançavam ao som do vento. O cheiro da maresia invadia os pulmões do jovem rapaz que caminhava descalço, sozinho.

Lentamente ia andando e observando tudo ao seu redor. Se pudesse, contaria cada grão de areia que seus pés tocavam.

O som das gaivotas o fazia olhar para cima e vislumbrar as mais densas nuvens. Fechou os olhos, respirou o mais fundo que pode e sentou-se de frente ao mar.

Não havia explicação para o momento… ele devia estar lá e, simplesmente fazia parte daquilo.

Por um momento fitou o sol como se fossem verdadeiros amigos, ao que um ia se despedindo, lentamente se curvando à noite.

E lá, o jovem ficou até a última réstia de luz.

(Danie Pip S.)

~ * ~

Pois é, galera… depois de escrito parece curto e tal para ser chamado de “conto”. Mas, foi o que deu pra fazer. E podem não acreditar mas às vezes dá trabalho.

Esse sonho foi real, o rapaz sabe quem é ele, pois não me contive em contar. Mas paradoxalmente a quem tem um blog, não gosto de expor TUDO, então para vocês, o rapaz continua sem nome. O que é legal, porque vocês podem dar o nome que quiserem a ele.

Ontem, na verdade hoje de manhã, meu japamigo invadiu meu blog e quase posta umas coisa kkkkk. Que na verdade seria um tema bom, ainda escreverei aqui sobre isso… sobre o velho dilema do “Fulano, que saudade”, onde às vezes dá vontade de responder. “Cicrano, dane-se! 🙂 ” Mas não vamos discorrer -agora- sobre o assunto.

Estou feliz com nosso novo endereço, tão arrumadinho e tal… estou achando mais a minha cara *-*
Gente, vou lembrar mais uma vez: Assim como vocês gostam de ler o blog, eu A-D-O-R-O ler os comentários. Então aquele coraçãozinho que fica no cantinho superior da postagem indica o número de comentários… então quanto maior o número que estiver lá, mais eu vou ficar feliz. Não por “reconhecimento” e blablablá.. até porque quando comecei o blog não esperava que ninguém fosse gostar… sério! MAS já que estamos construindo esse relacionamento, espero que seja platônico, né!? xD

AH, claro que eu não vou esquecer dos nossos pontos favoritos, né? 😉 Estão logo mais abaixo.

– Ponto Baixo: Quando as férias começam a ficar legais….. ACABAM! ¬¬

– Ponto Alto: As férias foram fantásticas… conheci pessoas, lugares, aproveitei amigos e família. Até perdi 2kg (o que não dá pra ver né, mas se a balança diz, não vou contestar.. só agradeço). E não nego, AMO estar em Angicos, com meus vizinhos do Inferno Colorido. Estava com muita saudade deles ❤

– Versículo:

“Abstende-vos de toda aparência do mal.”

(I Tessalonicenses 5.22)

Música hoje fica OFF… sem inpiração xD

Quanto ao abraço… deixo esse para o “Jovem” 😉
;*

No mais… é isso galera. Fiquem com Deus.

Até próximo post.

Bem-Vindos!

Geeeeeeente do meu coração!

É com muita alegria que venho dar as boas vindas ao nosso novo endereço. Mudamos o layout, ficou mais arrumadinho, elegante, coisa e tal, mas a essência é a mesma! Então se você gostava, continuará gostando… Se não gostava, não ligo do mesmo jeito que eu não ligava kkkk xD

Bem, quem quiser fuçar, fique à vontade e tal. Mas lembrando que as postagens anteriores a essa são as mesmas que tinha no Blogger. 
Se alguém tiver alguma sugestão, crítica e/ou, principalmente elogio (adoro a modesta), podem comentar lá embaixo e tal.

Não sei se vocês lembram, mas prometi falar de um conto sequencial baseado nuns sonhos que tive e tal. Mas acreditam que não estou conseguindo começar!? Caramba.
Bem, o fato é que segunda já começam as aulas então pretendo realmente postar pelo menos a “Parte I” ainda nesse fim de semana. 
No mais, abraço a todos que estão aqui.

😉

Feliz Natal Atrasado

Pois é, cá estamos em 2014…
Bom, como não escrevi nada no Natal, nem Ano Novo, vou fazer uma postagem retroativa sobre o natal e na próxima postagem falo sobre o Ano novo.
De antemão informo que encerradas as postagens “festivas” darei início a uma série que ainda não nomeei mas que será sequencial baseada em sonhos peculiares (o que me faz me sentir meio Stephen King *-*)
 
Sobre o Natal
É uma época que tenho grande apreço, afinal como sabem sou cristã. Apesar de estudos comprovarem que alguns simbolismos natalinos são pagãos (como árvore, guirlanda, etc) e, por tanto,  descartei eles do meu cenário festivo, continuo a apreciar a data.
Algumas coisas me incomodam… bonecos de neve mais parece coisas de Halloween. Mas, respeito que brasileiros enfeitem suas casitas com objetos que não fazem sentido climatológico e geográfico. Isso é o de menos para o que realmente me incomoda. Compras, compras, compras, compras, compras… e mais compras.
– Mas é proibido comprar no fim do ano?!, -Por acaso é feio presentear no natal? Os reis magos presentearam Jesus.
Ok, essas perguntas são válidas, e a resposta a elas, até onde vão minhas faculdades mentais, é: NÃO!
Não vivemos no comunismo, nosso país é livre, você faz o que quiser com seu dinheiro, inclusive comprar e presentear o quê e quem quiser. Mas pense um pouco… sabemos que muitas dessas compras de fim de ano são desnecessárias. O exagero toma conta das pessoas. Roupa nova, sapatos, entre outros troços que se compram por “necessidade” natalina. Não preciso de nada disso para entrar no clima de natal. Primeiramente porque creio que o natal nada mais é do que a lembrança de que Jesus veio ao mundo, como plano de Deus para nos livrar do castigo eterno. A ceia, amigo secreto e outras convenções são para mim absolutamente secundárias… Mas continuo a afirmar que respeito quem pensa diferente.
Encerro essa parte da postagem mencionando um ‘evento’ que presenciei no shopping Midway Mall (Natal, RN). Se tratava de um grupo de teatro personificados de “zumbis do consumismo”. Foi algo realmente impactante, principalmente quando eles cercaram o papai Noel de plantão (kkkk pobre velhinho ficou meio desnorteado). E o mais interessante é que pude ouvir algumas pessoas extremamente incomodadas e insatisfeitas com a sujeira causada pelo grupo que estavam meio enlameados.
Eu pensei: Sério? Eles estão passando uma mensagem bonita e você se preocupa com o chão?
Óbvio que esse pensamento ficou apenas guardado já que não pretendia criar caso em pleno shopping com um total desconhecido!
Quem mais deveria se preocupar com o chão eram os zeladores, que também não morreriam, afinal é serviço cotidiano deles, mas as pessoas encaravam aquilo de forma tão grosseira que tornou-se cômico.
Infelizmente não soube o nome do grupo mas como boa blogueira que estou me tornando tirei fotos para mostrar a vocês.
Resumindo, minha revolta é tão somente pela hipocrisia natalina que tenho visto por aí.
 
Image

Banco Vazio (24.11.13)

Nas condições atuais, bem que o título poderia se referir à minha conta né? Mas não, foi o melhor título que consegui pro que temos a seguir… vocês entenderão!
Faz umas duas semanas que escrevi algo para publicar aqui no blog e esqueço de fazê-lo. Não pensem que é por grandes ocupações cotidianas mais do que minha própria leseira 😉 Bom, o fato é que cá estamos novamente para alegria geral dos dois ou três que curtem o blog. Essa postagem tem um efeito meio retroativo, que na verdade não sei ao certo quando escrevi mas… é isso aí. Leiam, ou não. (Tô brincando, leiam sim que eu fico feliz :D)
 
 
Bloqueio de escritor de novo? Sério?
Na verdade acho que meu computador está com alguns bloqueios também. Recentemente ele tem me dado o prazer de aumentar meu nível de paciência com objetos eletrônicos. Mas certamente não estou aqui pra falar de tais objetos.
Quem acompanha meu blog sabe que meus picos de inspirações podem ser preocupantes, pois são fortes indícios de eu estar muito bem ou muito mal. Raramente escrevo coisas interessantes quando estou num estado mental consideravelmente normal.
Hoje por exemplo tive um ótimo dia… mas às vezes sinto que o portal da melancolia se abre e me atinge de forma inesperada. É quando percebo que alguns tipos bem específicos de tristeza não devem ser forçadamente deixados de lado. Penso até que deve ser cultivado, embora possa ser delicadamente perigoso.
Não, definitivamente eu não sou depressiva, mas inegavelmente a melancolia é forte aliada a um determinado tipo de literatura, música, entre outras coisas que sob muitas ressalvas eu poderia chamar de “cultura”.
O amor, segundo Oswaldo Montenegro, só é bem grande se for triste. E podemos ver isso na prática quando assistimos a um filme ou novela em que o casal sempre tem que passar por um momento infeliz (entenda-se tragédias, muitas delas inexplicáveis na vida prática) para que depois daquele momento em que todos pensam “Poxa, vai atrás dele (a)” espera-se um “Poxa, aceita ele (a)!”. Nessas horas todos temos princípios, compaixão e etc… Ahh, como é bom articular uma vida que não seja a sua. Os jogadores de The Sims que o digam ;D
Mudando completamente de assunto, recentemente fui a São José dos Campos, SP. E esta é, sem dúvida uma cidade do meu profundo agrado. O aconchego do interior com o desenvolvimento típico de São Paulo. Uma cultura interessante. Até o frio é aconchegante, pelo menos na época em que estou por lá, pois sei que no inverno provavelmente eu não teria a mesma opinião.
Ao lado do memorial do ITA (Instituto Tecnológico Aeronáutico) uma cena me encanta. É para mim como se fosse um quadro vivo. Não sei se já tenho bagagem de escrita suficiente para descrever um lugar como esse, mas vou tentar pelo menos o esboço que faço mentalmente.
 
“Havia um gramado verde-esmeralda sob um terreno irregular. Algumas folhas secas se deitavam abaixo de árvores frondosas e outras se deixavam levar pelo vento que por ali passeava. Um banco de madeira se posicionava à frente do lago azul e as nuvens se comportavam de forma aleatória como se dançassem com seus próprios passos. Tão brancas quanto poderiam ser.
Um ano se passou desde a última vez em que ela esteve lá. 365 dias se passou e o banco permaneceu intacto, imóvel. Mas ela já não era a mesma. A paisagem era a mesma, mas não a sua visão.
Dessa vez a moça sentou embaixo da árvore e por alguns minutos fitou o banco como se ele pudesse ouvir seus pensamentos. Ela poderia sentir o ciúme que ele sentia das raízes que a aconchegavam. O Sr. Assento (nome óbvio mas muito propício para um banco) parecia triste. Como se esperasse alguém que não apareceu. Ele foi feito para um grande encontro… Para a confirmação de um sentimento mútuo das pessoas mais improváveis. Mas não havia ninguém. Não houve um encontro marcado, nem casual. Não houve troca de olhares, tão pouco mãos se encontraram suavemente. A única coisa que se uniu naquele momento foi a vontade da moça estar com alguém e a frustração desse alguém não existir.”
Bem, esta é minha descrição sob o lugar em que estive e um pouco do que senti por estar lá.

Uma das melhores coisas que a vida pode proporcionar é a imprevisibilidade. Você começa um texto passando determinado sentimento. E durante um intervalo para organizar ideias surge um filme, lanche, e um papo fim-de-noite entre vizinhos com direito a crise de riso :}
A vida é uma grande surpresa. Por isso devemos estar sempre prontos.

(Danie Pip S.)
~* ~
 

E para quem realmente ainda não entendeu que eu era a moça em questão, eis a foto que tirei e que tentei descrever. Agora comparem (E comentem, garanto que seus dedos não cairão!) minha descrição com a foto e vejam se consegui passar um pouco de emoção kkkk.

 
Image
 

Elogiando o Vazio (11.10.13)

Já notaram que quando dizemos “A vida é engraçada” a última coisa que queremos dizer é que estamos rindo?
 Na verdade essa expressão quer dizer que a vida é ridícula, não tem menor sentido, pois não somos capazes de entender a razão de ser de determinados acontecimentos. Os quais eu, como cristã, atribuo tais fatos a Deus ainda que, humanamente falando, seja algo ‘ruim’.

 Mas ao contrário do que o desabafo possa ter dado a entender, não vou descrever nenhuma tragédia, ou talvez não da forma que vocês imaginam. Vendo algumas coisas no Facebook, algo dentro de mim se revoltou.

 Liberdade de expressão? Todos têm.
Graças a Deus não estamos mais em 1964 e ninguém precisa se preocupar com exílio na hora de publicar o que lhe vier à mente, desde que não denigra a moral de outros de acordo com o código civil e blablabla… também não vou dar uma aula de direito. Mas inegavelmente a onda de campanhas Anti-Bullying tem se espalhado mundialmente e, infelizmente, surtindo menos efeito do que o que se gostaria. Isso porque é fácil publicar “Respeite o próximo” nas redes sociais. Difícil é fazer isso na prática, quando desliga o computador.

 Daí, fiquei pensando na quantidade de gente “feia” que sofre Bullying (No popular, xacota. E ao meu ver, TORTURA PSICOLÓGICA) por aí. Pessoas que não têm culpa de suas aparências não muito comuns para o padrão da sociedade e aquele blábláblá todo. Óbvio que tem muita gente “bem resolvida” que já conseguiu sair do drama e seguir sua vida de cabeça erguida, como é o caso de Lizzie Velasquez, a quem tenho profunda admiração e respeito pois é MUITO triste eu não ter lembrado do nome dela e ter que procurar na internet como “mulher mais feia do mundo” para achar o seu nome.
 Não vou ser hipócrita e dizer que ela é bonita, mas a importância disso é tão nenhuma que chego a ficar sem palavras de pessoas que a menospreza por uma mera questão de ‘casca-de-ovo’ (como diria minha querida irmã Rek Sousa).

 Estou falando alguma novidade? Ainda não.
Estou querendo causar impacto? Muito menos… até porque não trabalho pro João Kleber muito menos pra Oprah. Aonde quero chegar?

 É agora que entra o ponto chave da minha questão… Quem disse que só sofre disso quem tem atributos ‘negativos’??
Vejo pessoas bonitas sendo alvo de piadas disfarçadas. E foi isso que vi no face hoje… uma pessoa do meu apreço sendo bombardeada de elogios como se falassem de um objeto sexual inanimado.

 Ciúme? Hmm… prefiro chamar de cuidado.
 Eu realmente encaro esses elogios como lâminas afiadas. Pois são elogios tolos, vagos, que aos poucos vão criando uma crosta de ego ao redor de um bom caráter.

 Então devo não elogiar uma pessoa bonita por ela ser bonita? A minha questão não é essa… e sim o propósito desse elogio. O que você está realmente elogiando. Uma casca inanimada?
 É bem antiga a jargão de que “Os feios também amam”. Mas é óbvio. É fácil amar e ser amado quando se é feio. Pois segundo o próprio paradigma social, “Só pode gostar, porque pense numa peste feia”… ou vai dizer que essa lógica nunca lhe passou na mente?  

Eu digo o contrário… Os lindos também amam. E sofrem. Não estou falando por mim, que nem me acho a mais linda das criaturas e também nem a mais feia, mas falo por aquelas pessoas que realmente chamam atenção dos olhos alheios. Essas pessoas não são robôs, elas tem sentimento, e por mais difícil que seja pra você aceitar isso, elas também PEIDAM, fazem XIXI e fazem COCÔ (Mãe, pode ter certeza que só não usei outros termos em sua grandiosa consideração). Ah, e fede, tá? Tipo, humanos. Os quais não vão derreter pela falta de um elogio exacerbado.

 Quer saber o que eu penso?
 Eu não ligo para cor dos seus olhos se eles forem ternos.
 Eu não ligo se seu braço é forte se ele me abraçar.
Eu não me importo com sua boca se ela sorrir pra mim.
 A beleza de teu corpo não é nada que possa ser comparada a doçura da tua alma.
Simples assim.